IgNobel 2009

O prêmio IgNobel, uma versão divertida do Nobel, foi criado para premiar as pesquisas mais estranhas do ano.
A motivação da premiação é “honrar as experiências que primeiro fizeram as pessoas rir, e que depois as fizeram pensar”.

Ganhadores deste ano:
Medicina veterinária: os vencedores foram cientistas britânicos que demonstraram que vacas com nomes produziam mais leite do que as que não eram ´batizadas´.
“Exploring Stock Managers’ Perceptions of the Human-Animal Relationship on Dairy Farms and an Association with Milk Production,”
http://dx.doi.org/10.2752/175303708X390473

Paz: aos pesquisadores suíços, por avaliar qual era a melhor alternativa: receber uma pancada na cabeça de uma garrafa cheia ou vazia?
Are full or empty beer bottles sturdier and does their fracture-threshold suffice to break the human skull?
http://dx.doi.org/10.1016/j.jflm.2008.07.013

Economia: aos executivos e diretores de bancos da Islândia, pela demonstração de que pequenos bancos podem crescer rapidamente e… vice-versa.

Química: para uma equipe de pesquisadores da Universidade Nacional Autônoma do México, por demonstrar que diamantes podem ser obtidos de líquidos, e de tequila.

Física: para a equipe da Universidade de Cincinnati, que determinou porque as mulheres grávidas não tombam com o peso da barriga.

Medicina: Concedido a um americano que passou 60 anos estalando os dedos da mão esquerda, e mantendo a mão direita sem estalar, para verificar uma possível causa de artrite.
Fetal load and the evolution of lumbar lordosis in bipedal hominins
http://dx.doi.org/10.1038/nature06342

Literatura: A polícia irlandesa levou o prêmio por multar, mas de 50 vezes, o cidadão Prawo Jazdy, cujo nome, em polonês, significa “carteira de motorista”.

Matemática: Foi para Gideon Gono, do Banco de Reserva do Zimbábue, por gerenciar a impressão de notas de que vão de um centavo ($.01) a cem trilhões de dólares ($100,000,000,000,000), e ensinar as pessoas a lidar com números.

Biologia: Foi para japoneses pela demonstração de que bactéria extraída das fezes de pandas gigantes poderiam ser usadas para diminuir em até 90% do lixo da cozinha.
Microbial Treatment of Food-Production Waste with Thermopile Enzyme-Producing Bacterial Flora from a Giant Panda

http://improbable.com/ig/winners/#ig2009

Tags:

3 Comments

  1. Sandra outubro 12, 2009
  2. HnC outubro 12, 2009
  3. Luiza_chan outubro 29, 2009

Escreva um comentario